ACTUALIDADE: A Colheita da azeitona na Freguesia de Enxames

Azeite Enxames

     Durante as últimas semanas podemos assistir à colheita da azeitona na Freguesia dos Enxames. Muitos habitantes possuem oliveiras nos seus terrenos e extraem destas, azeitonas para curtir (processo para ficarem comestíveis) e para produção de azeite. Normalmente estes trabalhos executam-se entre os meses de Novembro e Janeiro.

    O sumo decantado e purificado da azeitona, o azeite, é um condimento indispensável na nossa cozinha. As suas propriedades antioxidantes naturais, aroma e sabor próprio, tornaram- no um alimento único e aprovado nas mais diversas áreas, tendo-se registado em Portugal nos últimos anos um aumento significativo dos seus níveis de consumo. De destacar que no passado dia 04 de Dezembro de 2013 a dieta mediterrânica foi considerada património imaterial da Humanidade da UNESCO.

    A colheita da azeitona feita na freguesia destina-se na sua grande maioria ao consumo próprio, tendo sido sempre um trabalho bastante manual e de longa duração, mas isto parece começar a mudar. Nestes últimos anos a ocupação laboral dos habitantes dos Enxames e as imposições/melhorias técnicas feitas pelos lagares de azeite nos processos de conservação da azeitona, desde a sua colheita até à sua transformação, levaram de certa forma a que assistíssemos a uma evolução em todo o processo.

    Desde alguns anos atrás vemos na freguesia a utilização de equipamentos para ajudar na limpeza da azeitona e cada vez mais nos dias de hoje assistimos ao uso de equipamentos de colheita manual assistida mecanicamente, que ajudam a acelerar a colheita e logística associada. Refiro-me, neste último caso, ao uso de varejadores.

    A evolução tecnológica possibilita que na atualidade se faça uso de varejadores elétricos que pesam relativamente pouco, funcionam com uma bateria e são facilmente transportados, o que os torna numa ferramenta verdadeiramente eficaz e ecológica. Esta ferramenta parece adaptar-se bem às necessidades dos produtores da freguesia, uma vez que cada vez mais os vemos em funcionamento nesta altura do ano! Também nesta área existem defensores e opositores a este tipo de colheita, mas penso que desde que o processo garanta a conservação da árvore e do fruto será sempre uma mais-valia.

   Os lagares de azeite também sofreram bastantes melhorias técnicas, começando desde a primeira linha de transformação, com a introdução de zonas de recepção e limpeza da azeitona, sendo assim desnecessário o uso de equipamentos semelhantes e todo o trabalho associado por parte do produtor. Temos como exemplo disto, a Cooperativa Agrícola dos Olivicultores do Fundão.

    Estas e outras evoluções em todo o processo, desde a colheita da azeitona até à transformação em azeite, ajudam a que se possa conseguir um produto com melhor qualidade que o tornará num excelente azeite virgem extra, característico da região. Deixo-vos um vídeo e algumas fotos realizadas nestes últimos dias na freguesia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

 

Loading Facebook Comments ...