Apicultura: Vespa crabro

vespacrabro_enxames2014    Depois das grandes chuvas destes últimos dias, que tantos estragos causaram ao longo de todo o país, decidi passar a ver como estavam as coisas no meu apiário. Apesar de fazer sol, o tempo não permitia a abertura das colmeias, mas foi possível observar pelo menos o fluxo de entrada/saída de abelhas. Tudo parecia normal, até ao momento em que vejo um insecto com dimensões um pouco “grandes” passar-me à frente dos olhos. Olho para cima e vejo numa árvore a 5 metros das colmeias, um enorme alarido de vespas com tamanho, para mim, fora do normal.

    Depois de assistir estes últimos tempos a algumas notícias relacionadas com vespas asiáticas (vespa velutina), não fiquei nada tranquilo e  a primeira coisa que pensei foi que a espécie já tinha descoberto a Freguesia de Enxames.

    As vespa Velutina é uma espécie invasora já bastante conhecida no norte do nosso país (Viana do Castelo, Braga, Vila Real, etc.), que está a destruir apiários e a dar muitas dores de cabeça aos apicultores. Esta espécie chegou à Europa por via marítima, em 2004.  As autoridades francesas desconfiam que vieram num carregamento de bonsai , proveniente da China e descarregado em Bordéus. Nesse ano, eliminaram três ninhos e a coisa parecia controlada, mas em 2006 foram detetados 223 ninhos de vespa velutina em França e, um ano depois, os animais tinham-se espalhado por metade do país (1613 ninhos). Não tardaram a chegar à Europa Central, ao Norte de Espanha, atualmente em Portugal e a este ritmo será difícil que não ocupe todo o nosso território nacional.

    Tentei catalogar então a espécie e ler um pouco mais sobre esta na Internet e segundo o que vi estava perante um enxame de Vespas Crabro (espécie autóctone em Portugal). Este tipo de vespa com dimensões entre 25 a 35 mm, distingue-se sobretudo da vespa velutina pelo seu tom avermelhado as velutinas têm tórax negro, as patas são amarelas e o abdómen é mais escuro, com listas amarelas perfeitamente definidas.

    [1]Segundo Paulo Russo, professor de zootecnia e investigador nos laboratórios apícolas da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a vespa crabro também se alimenta de abelhas, mas apenas das que estão moribundas. Pode-se dizer que até tem um papel algo útil: fazem uma limpeza seletiva da colmeia, conservando os exemplares mais fortes». O que é facto é que se alimentam de abelhas, mas talvez em menor número que a vespa velutina e ter um enxame destes ao lado do apiário não é de grande agrado.

    Ter uma espécie autóctone que come abelhas já é suficiente e esperamos que não chegue outra à freguesia, mas caso seja avistada melhor tomar medidas junto das autoridades locais e alertar para tal facto, antes que o problema tome dimensões incontroláveis.

    No norte do país constroem-se algumas estruturas verdadeiramente simples para diminuir a população, como por exemplo, uma garrafa de plástico de água, com a parte superior virada ao contrário e uma solução de vinho branco, groselha e cerveja. As vespas entram, atraídas por este conjunto de odores, e já não conseguem sair. Esta é uma solução que não as erradica e apenas diminui temporariamente o problema.

    A título de curiosidade, a vespa crabro é alvo de grande admiração e proteção na Alemanha, chegando até a haver quem coloque ninhos artificiais (caixas de madeira) para lhe providenciar alojamentos. 

     Disse Albert Einstein: «Quatro anos depois de se extinguirem as abelhas, extingue-se a humanidade.». Sem abelhas, a cadeia alimentar teria obrigatoriamente de mudar, já que setenta por cento dos produtos frutícolas e hortícolas que a humanidade consome precisam de abelhas para o processo de polinização.

 

 

 


Referências:

[1] http://www.dn.pt/revistas/nm/interior.aspx?content_id=3113210

http://www.rtp.pt/play/p553/e114903/vida-animal

http://montedomel.blogspot.com.es/2009/07/vespa-crabro-cuidado-mas-nao-tanto.html

http://montedomel.blogspot.com.es/2009/07/cuidado-com-as-vespas-gigantes.html

http://montedomel.blogspot.com.es/2013/02/a-vespa-velutina-em-portugal.html

http://vespa-crabro.com/spanish1.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

 

Loading Facebook Comments ...