Projeto "À procura das nossas raízes"

Que rico final de inverno!
Dias quentes com muito sol, com muitas brincadeiras e algum trabalho ao ar livre.
Aguardava-nos a sementeira das batatas que, tal como todas as outras que já fizemos, decorreu com muita alegria e muito empenho.
Preparámos a terra, colocámos nela o estrume e as batatas depois de cortadas com muita arte e algumas regras: cada pedaço de batata deve ter um grelo e ao serem colocados na terra têm que ter alguma distância entre si, cerca de 20 ou 25cm, pois de cada um irão nascer muitas batatas!
Durante a sementeira e à medida que todos fomos participando, jogámos e divertimo-nos com um jogo que o Martim nos ensinou e que a mãe dele jogava quando era pequena.
Descrição do jogo: aos pares, cruzando as mãos de ambos os elementos, faz-se uma “cadeira” onde um 3º elemento se senta. Cantarolando uma lengalenga vão baloiçando a “cadeira” até o 3º elemento cair ao chão.
Lengalenga
Lá vai a Maria Figueira
Sentada numa cadeira
A fiar o algodão
Carrapata vai ao chão!
Foi mais uma das nossas raízes que encontrámos, com a ajuda preciosa da mãe do Martim. Que tarde tão divertida!

Também no âmbito deste nosso projeto, realizámos uma visita a um pomar de cerejeiras.
O que é um pomar? O que podemos observar num pomar? Estas perguntas foram o ponto de partida para a visita que efetuámos, ficando registado, antes da visita, o que cada um pensava encontrar. No pomar todos desenharam livremente o que observaram e de volta à sala os meninos do JI completaram o registo com o que observaram, ficando assim feito o registo do antes e depois da visita. Foram todos muito observadores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Loading Facebook Comments ...